TRAGÉDIA: O avião "Fantasma" que voou sozinho por 3 horas antes de cair

O vôo 522 da Helios Airways foi um voo comercial que saiu de Larnaca, Chipre, em 14 de agosto de 2005, com destino a Atenas, Grécia. O avião, um Boeing 737-300, caiu no Monte Troodos, matando todas as 121 pessoas a bordo.



A investigação revelou que a causa da queda foi a incapacidade dos pilotos de lidar com uma falha no sistema de pressurização da cabine. A falha foi causada por uma falha no sensor de pressão, que foi mal instalado durante a manutenção realizada pelo fabricante do avião, a Boeing.


Como resultado, a pressurização da cabine foi perdida e os pilotos ficaram inconscientes devido à falta de oxigênio. O avião continuou a voar em modo automático durante 3 horas até que o combustível acabou e o avião caiu.



A investigação também mostrou que a Helios Airways tinha problemas gerais de segurança e gestão, incluindo a falta de treinamento adequado para os pilotos e a falta de supervisão adequada do sistema de manutenção do avião. Como resultado, a companhia aérea foi fechada e seus ativos foram vendidos.

A tragédia do vôo 522 da Helios Airways foi a pior acidente de aviação na história de Chipre e a segunda pior acidente de aviação envolvendo um Boeing 737. Além disso, foi a primeira vez que um avião comercial caiu devido a uma falha no sistema de pressurização da cabine.



A tragédia levou a mudanças nas regulamentações de segurança da aviação em todo o mundo, incluindo a instalação de sistemas de alerta de pressurização obrigatórios em todos os aviões comerciais.

Comentário do usuário