Lembra do pai que vendia canetas na rua com a filha no colo? Foi isso que aconteceu com ele

Abdul Halim al-Attar comoveu o mundo depois que uma foto sua vendendo canetas enquanto segurava sua filha no colo pelas ruas de Beirute, Líbano, se tornou viral. Mas quem se encantou mesmo pela coragem deste refugiado sírio foi a jornalista norueguesa Gissur Simonarson, que criou a @buy_pens, uma conta no Twitter para levantar U$ 5 mil para Abdull e sua família.

A campanha fez tanto sucesso que após três meses já arrecadava 40 vezes mais dinheiro que a meta inicial, totalizando US$ 188,685. Com o valor que recebeu, Abdul abriu uma padaria, uma kebaberia e um pequeno restaurante no Líbano. Aos 33 anos, ele é pai de duas meninas e emprega 16 refugiados. “Não foi só a minha vida que mudou, mas também as de minhas filhas e das pessoas sírias as quais eu ajudei“, diz ele.

Hoje há cerca de 1,2 milhões de refugiados sírios registrados no país, a maioria lutando para encontrar trabalho. E apenas um terço deles têm emprego, de acordo com um relatório emitido em 2014 pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Mas a luta ainda continua. Até agora Abdul só recebeu 40% da quantia que foi arrecada, isso porque refugiados não podem abrir uma conta bancária no Líbano. É a partir da ajuda de amigos que ele recebe, aos poucos, o resto do dinheiro. “Eu tive que investir, caso contrário perderia tudo“, conta.

E ele completa: “Hoje tudo é diferente. As pessoas passaram a me respeitar“.

Comentário do usuário